POR QUE A CRISE DE ANSIEDADE ACONTECE?


Não há exatamente uma razão por trás de uma crise. Ela pode ocorrer tanto em situações de estresse elevado quanto em cenários comuns do dia a dia. A probabilidade

de se ter uma crise “do nada” quando se está preocupado com algo é maior, mas não garante que ela vá mesmo acontecer.


Muitas pessoas acreditam estar sofrendo com uma crise quando, na verdade, estão sentindo emoções normais dentro de um determinado contexto. Em outras palavras, reagem de forma esperada. Está preocupado, ansioso ou angustiado? Sente- se triste ou desanimado com frequência? Como são as suas noites: perturbadas pela insônia ou de sono profundo e tranquilo?


A combinação desses fatores vai indicar se realmente a sua ansiedade está acima do normal a ponto de fazê-lo ter uma crise, ou se está reagindo, apesar de intensamente, da forma esperada em determinada situação.  Recobrar o controle durante uma crise não é uma tarefa simples. É, na verdade, um desafio, principalmente se for a sua primeira experiência. As táticas abaixo têm como objetivo amenizar os sintomas intensos de uma crise. Para obter melhores resultados, pratique-os com frequência!


Passo 1: Retome o controle de sua respiração


A respiração é um ponto-chave tanto durante a crise quanto na ansiedade sentida no dia a dia. Para aliviar a angústia e o medo repentino, respire lentamente. Procure um local calmo para ter privacidade. Preferencialmente, sente-se no chão e feche os olhos. Inspire o ar devagar, conte até três ou cinco (a quantia que for confortável para você) enquanto segura a respiração e, em seguida, expire lentamente. Faça isso sem expectativas, pois, se ficar pensando “preciso melhorar logo” sem parar, não vai conseguir relaxar.  Repita o processo quantas vezes forem necessárias.


Durante a crise, para obter melhor controle de seus pensamentos (e emoções também) você pode escrevê-los em uma folha de papel ou em um aplicativo no celular. Procure combatê-los com alternativas otimistas, cheias de compaixão e esperança. Se sentir-se confortável, verbalize o que está sentindo e o deixando preocupado.


Passo 2: Mude o foco da sua atenção


Após avaliar os pensamentos e identificar a origem da ansiedade (ou a provável

origem), mude o foco do que está atormentando-o.


Caminhe pelo cômodo devagar, abra um jogo relaxante no celular, converse com alguém sobre um assunto agradável, faça planos para concretizar seus sonhos mais

malucos ou segure um objeto com força para descarregar a energia acumulada. Tudo é valido quando o assunto é mudar o foco.


Essa dica é válida também para a ansiedade que o acompanha na vida diária. Se estiver à espera de algum resultado, seja de uma prova ou avaliação no trabalho, vá ao cinema ou caminhe com um amigo querido, ou leia aquele livro que você acha interessante. Ficar ansioso à espera de algo que não aconteceu não vai mudar a realidade atual. Dessa forma, quando você se deparar com uma crise, estará mais acostumado a fazer essa mudança de percepção e saberá aplicar essa tática com mais facilidade.


A partir do momento que você começa a compreender a sua ansiedade e o que o deixa ansioso, vai saber também o que traz paz e tranquilidade. Não hesite em recorrer ao que lhe traz conforto e segurança em momentos de grande tensão. Você pode reduzir a probabilidade de ter uma crise de ansiedade modificando o seu estilo de vida. Primeiro, precisa identificar o que exatamente está causando a ansiedade.


Há uma razão para você estar sempre inquieto ou você normalmente sente-se assim no cotidiano? Em seguida, para controlar a ansiedade, você pode praticar exercícios físicos regularmente, mudar seus hábitos alimentares, praticar o autocuidado ou, é claro, fazer terapia!


19 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo