Damas e Pajens, o encantamento na cerimônia!!!


Quando chega a hora de escolher as daminhas e pajens, já sabem tudo que deveriam saber sobre essa tarefa?

Não são apenas os noivos que arrancam suspiros ao entrar na cerimônia, as damas e pajens também são grandes responsáveis por emocionar os convidados.

E agora, quem escolher?

Sobrinhos, filhos de amigos, afilhados... Mas leve em conta o grau de intimidade. Explicar às crianças que este é um dia e um momento muito especial para vocês. Alertem que haverá muitas pessoas e fotógrafos, para que eles não “travem” na entrada. Quanto a idade, não existe regra, as daminhas e pajens podem ser de qualquer idade, mas o mais indicado é que tenham acima de 05 anos. Pensar qual a função que eles irão realizar para ponderar a idade.

Quais são as funções então?

Além da tradicional entrada com alianças, existem outras:

Plaquinhas de entrada e ou de saída com frases curtas de amor ou um simples anúncio de “lá vem a noiva”;

Pétalas: os escolhidos, ou apenas um deles, vão com uma cesta cheia de pétalas jogando no caminho antes da noiva entrar;

Buquês: Tem quem opte pelos mini buquês de flores, ursinhos de pelúcia ou doces para os acessórios das daminhas;

Também podem levar a bíblia e imagens de santos.

É preciso ensaiar com eles também?

É importante ensaiar exatamente como será a entrada e a função de cada um.

Lembre-se que são crianças e, às vezes, tudo pode sair fora do planejado. Mas estes improvisos espontâneos deles dão mais graça à entrada!

E os trajes, como escolher?

Quem pretende ter mais de um casal de daminhas e pajens no casamento precisa lembrar que as roupas devem combinar entre si. Muita gente opta por trajes iguais para todos, porém esta não é uma regra. O importante é que seja possível visualizar que todos fazem parte do mesmo evento, ainda que suas roupas não sejam exatamente iguais.

Para definir os trajes, pense no estilo, horário e local do casamento. Lembre-se de levar em conta também a estação do ano em que o casamento irá se realizar para não escolher algo muito quente.