Enviar a matéria pelo WhatsApp

Casamento de Raquel e César


Conheça um pouco da história do casal:

Um pouco sobre nossa história…

Nós nos encontramos em um cursinho para concursos no início de 2010. Em março desse mesmo ano começamos a namorar e simplesmente não nos desgrudamos mais. No Natal de 2012 noivamos.

Começamos a pesquisar lugares para casamento, fomos a várias casas de festa em Brasília mas nada nos agradava. Tudo era muito igual, muito engessado, muito formal.

Decidimos então casar só no civil, porque daí poderíamos decidir com calma como seria o casamento religioso. Nosso casamento civil foi em 02 de outubro de 2013.

Como decidimos casar em Fernando de Noronha?

Em meados de 2015, no meio de uma pesquisa na internet, encontrei um vídeo de um casamento na capela da ilha, algo bem intimista: eram só o noivo, a noiva e seus respectivos pais. Fiquei simplesmente apaixonada pela ideia (e pelo lugar)! Mostrei ao César e ele, que sempre pensou em um casamento pequeno, achou perfeito.

Decidi buscar maiores informações sobre casamentos na ilha e me decepcionei bastante: ou os (pouquíssimos) fornecedores simplesmente ignoravam meus emails e ligações, ou respondiam de uma forma incompleta e não me passavam segurança, ou simplesmente passavam orçamentos completamente absurdos (leia-se exorbitantes), ou ficavam de ligar e não ligavam (mesmo depois de eu ter ligado dez vezes), ou colocavam condições que para mim eram simplesmente inaceitáveis. Nessa época meio que desistimos de casar lá.

Apesar disso, eu continuava acompanhando os casamentos que aconteciam em Noronha pelas redes sociais. Como tínhamos ficado com muita vontade de conhecer a ilha, em novembro de 2016 fomos conhecer, afinal, a praia do Sancho foi eleita a mais bonita do planeta. Além disso, amamos praia!

Nunca vou esquecer a energia incrível que sentimos quando chegamos na capelinha de São Pedro: a simplicidade da capela, o azul profundo no mar, o vento forte, uma vista de tirar o fôlego. Poderia descrever por horas cada detalhe incrível daquele lugar, mas juro, pessoalmente, é ainda mais bonito que qualquer coisa que se diga.

Naquela mesma hora decidimos que um dia casaríamos ali.

Voltamos para Brasília e retomei a fundo minhas pesquisas sobre os casamentos na ilha.

Acho que vi todas as fotos de casamento que aconteceram em Noronha, pelo menos as que existem na internet haha. Eu sabia tudo! Cada noiva, cada vestido, os restaurantes bons, como era a locomoção na ilha, as dificuldades de acesso, como tinha sido cada decoração, quem tinha decorado, se o padre era legal, se tinha salão de beleza na ilha…

A nossa prioridade sempre foi a cerimônia religiosa, por isso queríamos casar na Capela de São Pedro. A primeira providência foi entrar em contato com o padre Flávio e definir a data - escolhemos um dos únicos dias que ainda tinha em 2017, dia 26 de novembro. Então atenção: se a sua prioridade é casar na igreja, definitivamente, a primeira coisa é falar com o padre. A partir daí você segue adiante.

É bom registrar que decidir casar na ilha é fácil. Se você for do tipo que não tem medo de deixar tudo nas mãos dos outros, também fica fácil organizar, lá tem algumas empresas de decoração que resolvem praticamente tudo.

Mas definitivamente, esse não é o meu caso. Eu queria algo ÚNICO e que fosse a NOSSA cara…

Por isso, eu mesma organizei tudo. Sim, tomei coragem e escolhi cada fornecedor (todos de Brasília), um a um. A única exceção foi a moça que fez o bolo, por questões de logística.

Confesso que deu um trabalho absurdo e que tive muita sorte! haha. Mas não me arrependo nem por um minuto.

Melhor momento: Como escolher o momento mais emocionante do dia do casamento é difícil, vou escolher quatro. Primeiro: quando meu pai meu viu pronta na pousada. que emoção!! acho que dispensa explicação né? Segundo: quando eu estava chegando no fim da subida do morro e avistei a igreja, com o vento levantando o véu e batendo no meu rosto.. senti uma alegria indescritível, por saber que meu marido, nossos pais, tios e irmãos estavam me esperando… Terceiro: quando o padre falou: "pode beijar a noiva”. porque será? hahaha Quarto: quando chegamos na recepção. o que era aquele lugar, aquela decoração, aquelas flores?? inacreditavelmente L-I-N-D-O.

Minhas dicas: Tudo passa muito rápido. Quando você menos espera chega o dia do casamento! Aproveite cada momento de todo o processo, e claro, o grande dia, porque você vai sentir muita saudade (se você for romântica como eu, vai ser o melhor dia da sua vida haha).

Faça com bastante antecedência uma lista das coisas que considera essenciais no dia, para que nada falte e você não esqueça nada.

Se não tiver tempo para organizar, contrate um bom cerimonial. Fez um pouco de falta.

Em certas coisas, não vale a pena economizar, principalmente a fotografia e a filmagem.

Não pegue uma única referência de um determinado fornecedor. Pegue no mínimo três.

Dê atenção ao que você e seu noivo querem acima de qualquer coisa e independente de qualquer outra opinião.

Saiba como foi a inesquecível festa:

Como éramos poucos convidados, fizemos um jantar no melhor restaurante de Noronha, que é também uma pousada, a TRIBOJU. Ambiente lindo, atendimento espetacular e comida incrível. Em suma perfeito!

Fornecedores:

  • Bolo: Luana - Fernando de Noronha

  • Doces: Aguimar Ferreira

  • Local: TRIBOJU

  • Vestido: Fernando Peixoto

  • Fotógrafo: Hverson Henrique

  • Vídeo: Bruno Zakarewicz

  • Buffet: TRIBOJU

  • Decorador: Miss Rocha

  • Cerimonial: Noiva

#matérias #capa

114 visualizações

A vida nos enche de motivos para Celebrar. É só prestar atenção aos detalhes para ver que, ao nosso redor, existem inúmeras razões para festejar, comemorar, reunir e partilhar.

© 2016 Revista Celebrar - Todos os Direitos Reservados - Este Site Foi Orgulhosamente desenvolvido por: Agência Integre

  • Instagram
  • Facebook
  • YouTube